Zebrinha - Palestras e Shows com o melhor do Humor Cearense

Inicio | Publicações | Show | Palestras | Clientes | Galeria

Escritorio do Riso | Dia do Humorista | Piadas | Vídeos | Contato

Teatro Chico Anysio | Museu do Humor Cearense | Blog | Facebook | Youtube
 
Piadas

SOGRA
Outro dia, desesperado,  peguei o telefone e liguei:
— Socorro, a minha sogra quer se suicidar... Ela quer se atirar pela janela do 5º Andar!
O sujeito que atendeu, falou::
— Ta... mas você errou o número... Aqui é da carpintaria!
— Eu sei! É que a janela não quer abrir...

MARIDO/MULHER
Cheguei em casa de madrugada. De madrugada não, já tava era amanhecendo o dia. Bati na porta. A mulher abriu. Aí eu falei:
-Bom dia meu amor
Estou chegando agora
O dia já raiou
Passei a noite fora.
E ela:
-Bonito, hem! Além de corno, deu agora pra poeta!

SECRETÁRIA
Cheguei no Escritório do Riso, minha secretária falou:
   -Seu Zebrinha, sua garagem ta aberta.
   -Garagem???
   -Sim.
   -Ah! (Fechei a braguilha) - Você viu minha Ferrari vermelha?
   -Não... Eu vi seu Fusquinha caindo os pedaços...

CARTOMANTE
Fui na cartomante, ela botou lá o baralho e falou:
No seu passado, vejo uma linda morena que infernizou sua vida...
   - É Minha mulher, a Jupira...
   E no meu futuro, o que é que diz aí?
No seu futuro vejo uma loura que vai infernizar sua vida ainda mais...
   - É minha mulher, a Jupira É que ela pintou o cabelo.

EMPRÉSTIMO
Eu tava com a minha Banquinha, vendendo laranja,  na frente do Banco do Brasil, de repente chega o meu amigo Pupunha:
  -Zebrinha, tô meio aperreado; me empresta aí 50 reais.
Eu disse:
  -Meu amigo Pupunha, dinheiro eu até tenho; mas infelizmente eu não posso te emprestar.
  -Mas porque?
  -Fiz um acordo com o gerente do Banco: Nem eu empresto dinheiro nem ele vende laranja.

NOME CIENTÍFICO
Para assistir ao comício
No meio da multidão
O Zé subiu numa árvore
Caiu e rasgou o calção.


-Olha o testículo do Zé
Gritou o amigo Ricardo
O deputado que ouviu
Ficou muito admirado.

-Parabéns! – disse ao garoto
Por seu modo de falar
Gostei da sua cultura
Não disse o nome vulgar.

-O problema, deputado
Não é cultura, é fome
Se eu falar ovo aqui
A negada vem e come.

BÊBADO
O Andrezim é aquele tipo de sujeito bonequeiro...
Um dia fui num bar com ele. E ele:
- Bote uma cerveja ai pra nós!
O dono do bar, que parece que já conhecia o Andrezim, falou:
- Posso botar não, ta faltando energia.
E o Andrezim:
- E daí! Eu vim aqui foi pra tomar cerveja, num foi pra tomar choque!
Fomos noutro bar, e o Anderzim no comando:
- Bote aí duas cana e um LP do Waldick Soriano.
E o dono da bar:
- As canas, tudo bem; mas  música, eu não posso botar não.
- Mas por quê?
- Porque o meu irmão morreu, ontem...
- E arreégua, e ele levou a Radiola, foi?!

OS DESEJOS DAS IDADES
Aos 4: não fazer xixi nas calças.
Aos 15: muitos amigos.
Aos 18: carteira de motorista.
Aos 20: muito sexo.
Aos 35: muito dinheiro.
Aos 40: muito dinheiro.
Aos 50: muito dinheiro.
Aos 60: sexo.
Aos 70: sexo.
Aos 75: carteira de motorista.
Aos 80: muitos amigos.
Aos 85: não fazer xixi nas calças.

CONVERSANDO COM O DINO
ZEBRINHA – E agora com vocês, meu amigo Dino.
DINO – Diz Zebrinha!
ZEBRINHA - Dino, como é que tu  define o casamento?
DINO – Encontrei a definição de casamento num livro de Matemática.
ZEBRINHA – Num livro de Matemática???
DINO – Perfeitamente: O casamento é uma SOMA de afetos; uma SUBTRAÇÃO de liberdades; uma MULTIPLICAÇÃO de problemas e uma DIVISÃO de bens...
ZEBRINHA – Divisão de bens!!!
                    Pegando daí, tua mulher te pede dinheiro?
DINO – 50 Reais, todo santo dia.
ZEBRINHA – E pra que é que ela quer esse dinheiro?
DINO – Sei lá! Eu nunca dei...

 
Zebrinha - Copyright © 2010 - Todos os Direitos Reservados